sábado, 8 de novembro de 2008

As palavras tem poder

Há um provérbio indiano que diz: “Quando falares, cuida para que tuas palavras sejam melhores que o silêncio”

A maneira como interpretamos os pensamentos, símbolos e palavras é denominada lingüística. Junte a idéia de que o cérebro humano trabalha orientado por uma espécie de programação semelhante a do computador. Temos então, a estrutura do conceito de neurolingüística. Essa “ciência” explica como declarações e expressões usadas no dia-a-dia podem influenciar a vida humana.

De acordo com a especialista Rebeca Fisher, psicóloga e instrutora da Sociedade Brasileira de Programação Neurolingüística (PNL), as palavras geram experiências em nossa mente. “Se eu falar ‘casa’ você buscará sua referência e essa imagem aparecerá na mente”, afirma.

A psicóloga acredita que é impossível não formar uma imagem do que está sendo dito. Isso vale tanto para quem pronuncia como para quem ouve. “Muitas pessoas dizem que não querem sofrer, mas já estão sofrendo mentalmente. Elas falam o que não querem que aconteça, quando na verdade seria melhor exprimir o que querem”, afirma.

Segundo o psiquiatra especialista em medicina psicossomática e hipnótica, Leonard Verea, a mente humana vive em função de símbolos alimentados pelo homem, permanentemente, independente se são positivos ou negativos. “Temos a capacidade nos programar para aquilo que nos interessa”, reforça.

Autoconhecimento
É comum a pessoa estar com dificuldades em apenas um aspecto de sua vida, mas se apressa em dizer “estou mal”, sem especificar o que está ruim. Para evitar o equívoco, a psicóloga aconselha autoconhecimento. “É muito importante identificar a área que está te incomodando. Reconheça o problema e isole-o. O resto fica legal”, explica Fisher.

Ela observa que a maioria das pessoas não conhece suas próprias emoções e recomenda que pronunciem palavras positivas.“A palavra ‘vou tentar’ não gera ação nenhuma, tentar é falhar com dignidade. A pessoa assertiva é aquela que diz ‘vou fazer’, afirma Rebeca, lembrando que o cérebro aprende por repetição e essa mudança de hábito exige treino. “É necessário prestar atenção em todas as vezes que se fala coisas negativas. Por isso, repita corrigindo-se”, finaliza.

1 comentários:

Helio Jenné disse...

Oi Sandra, concordo que as palavras tem um poder enorme e que emitem energia. Por esse motivo, procuro falar coisas boas e amorosas. Eu quero encher o mundo de amor! Beijo e parabéns pelo lindo blog.