sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Mentiras mais contadas sobre Trabalho Escravo


Mentiras:
1) Não existe trabalho escravo no Brasil.
2) A escravidão foi extinta em 13 de maio de 1888.
3) Se o problema existe, é pequeno. Além disso, apenas uma meia dúzia de fazendeiros utiliza trabalho escravo.
4) A lei não explica detalhadamente o que é trabalho escravo. Com isso, o empresário não sabe o que é proibido fazer.
5) A culpa não é do fazendeiro e sim de gatos, gerentes e prepostos. O empresário não sabe dos fatos que ocorrem dentro de sua fazenda e por isso não pode ser responsabilizado.
6) O trabalho escravo urbano é do mesmo tamanho que o rural.
7) Já existem muitas punições para quem pratica trabalho escravo. É só fazer cumprir a lei que a questão está resolvida. Não é necessária a aprovação de uma lei de confisco de terras.
8) A Justiça já tem muitos instrumentos para combater o trabalho escravo, não é necessário criar mais um.
9) Esse tipo de relação de trabalho já faz parte da cultura da região.
10) Não é possível aplicar a legislação trabalhista na região de fronteira agrícola amazônica. Isso geraria desemprego.
11) A fiscalização abusa do poder e é guiada por um viés ideológico. A Polícia Federal entra armada nas fazendas.
12) A divulgação internacional prejudica o comércio exterior e vai trazer prejuízo ao país.
13) A imprensa prejudica a imagem de estados como Pará, Mato Grosso,Tocantins, Maranhão, Rio de Janeiro e Bahia, entre outros, ao mostrar que há propriedades com trabalho escravo.
14) O Estado está ausente da região de fronteira agrícola e só aparece para punir quem está desenvolvendo o país.15) A “lista suja” do trabalho escravo é ilegal, não dá direito de defesa aos proprietários de terra fiscalizados pelo grupo móvel e não tem utilidade nenhuma além de punir o agronegócio


fonte: reporter brasil

2 comentários:

Ropiva disse...

Bela e triste matéria, Sandra.
Como muitas leis aqui no Brasil, o fim da escravidão só existe no papel. Em praticamente todos os estados foram encontrados casos de trabalho escravo. Os cortadores de cana no interior de São Paulo, por exemplo. Um absurdo gigantesco!

Beijos

ju rigoni disse...

Olá, Sandra!

Infelizmente, o trabalho escravo que ainda vigora por aqui é o pior de todos. Exatamente porque é finda a escravidão. Então, ele só vem à tona quando denunciado. É praticamente impossível saber quantos trabalhadores ainda existem vivendo sob esse regime...
Daí, afirmar que existe, ou que não existe, soa como um jogo político que não beneficia em nada àqueles seres humanos, porque o que é preciso mesmo é ação. Atitude. Mas para que isto ocorra é necessário que alguém com coragem bastante aponte esses "senhores de escravos" do terceiro milênio.

Há leis sim. Mas quantas leis existem e são ignoradas?

Tomara vivêssemos num mundo mais justo, mais humano...

Bjs e inté!