segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Lula garante que crise não afetará obras pelo Brasil afora

Nenhuma obra de infra-estrutura assumida pela governo vai parar por causa da instabilidade dos mercados internacionais, voltou a garantir nesta segunda-feira (13) o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo ele, tanto as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) quanto as atividades da Petrobras vão continuar. Lula disse ter certeza de que os investimentos das grandes empresas também não irão cessar.

Em seu programa semanal Café com o Presidente, Lula lembrou a reunião entre líderes europeus e norte-americanos na semana passada para discutir estratégias que aliviem a crise. Ele considerou a iniciativa “uma novidade na economia mundial” já que, pela primeira vez, o mundo vive uma crise “que ataca o âmago dos países ricos e do capitalismo”.

Para Lula, o atual cenário sinaliza a necessidade de regulamentação para o funcionamento do sistema financeiro mundial. Ao comentar a viagem que fará à Espanha, Índia e Moçambique nesta semana, o presidente adiantou que, além da crise econômica, temas como os biocombustíveis e a parceria Brasil-Espanha também entrarão em pauta. Para ele, esses encontros serão importantes, inclusive para a conclusão da Rodada Doha.

Fonte:
Vermelho

2 comentários:

Barbara disse...

Pois é...que não afete mesmo.
Porque no âmago da economia dos países ricos, está tudo que eles, desde as colonizações, espoliaram dos países pobres.
Além do que, no nosso âmago, amargo, amassado, amontoado, não cabe mais sacrifício algum.
O problema, é que nosso âmago é também amistoso.
Não sabemos negociar com as tragédias alheias....

Eduardo Buys do Blog do Varejo disse...

Pôxa, não é que Bárbara tem toda razão. A questão é, será que devemos agora negociar com tragédias alheias, nos aproveitar disto? Eu creio que não, se resistimos até agora. É hora, isto sim, de nos apresentarmos como solução. Temos energia, da nova-verde, e da antiga-petróleo em abundância, temos os alimentos-enrgia para os humanos e campos ensolarados, como coletores solares, e mais do que nunca, começamos a ter a noção de nosso valor como nação. Podemos ser úteis ao mundo, e vamos cobrar a fatura justa por este nosso tabalho. Que tal?
Eduardo Buys www.varejototal.zip.net